terça-feira, 22 de janeiro de 2013

Resumo do livro Jogos para sala de aula Teatrais da Viola Spolin



Viola Spolin, influente escritora teatral, aborda no segundo capítulo de seu livro Jogos Teatrais para sala de aula: um manual para o professor, que os aquecimentos regulares são sempre recomendados antes das sessões de oficinas fazendo com que o sangue circule.
Os aquecimentos também são úteis ao final de uma sessão baixa de energia para elevar os jogadores. A maior parte dos jogos podem ser feitos ao ar livre e com todo o grupo simultaneamente. Esses jogos liberam fortes respostas fisiológicas: corpos ativos, olhos brilhantes e faces coradas. Executar jogos tradicionais mobiliza o sistema físico como um todo, trazendo a resposta necessária para ir ao encontro dos riscos do momento
Os jogos utilizados no segundo capítulo são conhecidos como Jogos de Playground. Eles são: Revezamento com objeto; Pegador com golpe; Pegador com explosão; Números rápidos, Ruas e vielas; Ruas e vielas: Variações; Batatinha frita; Nó. Todos caminham na mesma direção e possuem objetivos únicos.
No jogo Revezamento com objetos, por exemplo, dois grupos ficam enfileirados lado a lado.  O primeiro jogador de cada grupo deve correr até o gol estipulado, tocá-lo, e voltar para fazer a entrega do objeto para o próximo jogador, que deve realizar o mesmo procedimento por diante, até que todos os jogadores tenham tido a sua vez e um grupo tenha ganhado, com o objetivo de ser o mais rápido possível.
No jogo Pegador com golpe, os jogadores sentam formando um círculo. Um deles recebe um rolo de papel. Este inicia o jogo indo no circulo e tocando levemente os jogadores que estão sentados. Eventualmente, este jogador bate o rolo com mais força em um deles, depois volta e coloca o rolo em uma cadeira no centro do circulo, e corre voltando para o seu lugar. O outro jogador pega rapidamente o rolo e tenta tacar no jogador que se sentou. Se obter sucesso recoloca o rolo na cadeira e volta para o seu lugar. Caso o rolo caia da cadeira o jogador deve voltar antes de se sentar. O jogo segue até que um dos jogadores volte a salvo para o seu lugar. Este jogo tem o mesmo objetivo que o primeiro, porém aqui temos um jogo mais elaborado.
O Pegador com explosão tem como objetivo quebrar as armaduras protetoras dos jogadores. O ideal para a realização do jogo é uma área ao ar livre e sem qualquer objeto na sala. Para começar o jogo, divida os jogadores em dois grupos. Metade joga e a outra é plateia. O grupo estabelece quem será o pegador e o jogo inicia dentro dos limites da área de jogo sem ultrapassá-los. Quando os níveis de atividade estiverem elevados, o coordenador adiciona uma nova regra. Os jogadores que forem pegos devem ‘’explodir’’ cada um no seu tempo. Este jogo pode ser usado como um aquecimento natural, mesmo que seja em um tempo curto.
Em Números rápidos, tem-se como objetivo ajudar os jogadores a focalizar um problema. Os jogadores formam um semicírculo e numeram-se. O número um inicia o jogo chamando o número de outro jogador. O jogador que foi chamado responde imediatamente com outro número e assim por diante. O jogador que chamar um número antes de ser apontado, vai até o final do semicírculo. Todos os jogadores, anteriores àquele jogador, sobem uma posição, cada um assumindo o número da pessoa que ocupava aquele lugar. O jogo segue como antes. Número um inicia. Se o número um errar, ele vai para o final da linha e o número dois se torna o número um, e todos os jogadores mudam de posição.. 
Ruas e vielas é um jogo especialmente útil para treinar os alunos como instrutores e como aquecimento para a produção de peças. Para o início do jogo, deve-se definir um “mocinho” e um “bandido”, os outros jogadores formam fileiras e estendem os braços para os lados. No sinal do coordenador, todos se viram um quarto de circunferência para a direita, bloqueando a passagem para os dois jogadores. Quando é dado o sinal “Ruas!”, todos os jogadores ficam de frente para o instrutor, quando o sinal é “Vielas!”, todos ficam de frente ao quarto de circunferência. O mocinho e o bandido não podem atravessar o bloqueio formado pelos braços. O sucesso do jogo depende do alerta do instrutor ao falar as mudanças no momento em que o mocinho está na eminência de pegar o bandido.
Com ruas e vielas – variações ocorrerá o mesmo que o jogo citado a cima, porém este será em câmera lenta, e com o decorrer do jogo o instrutor começa a indicar papéis para os dois alunos que estão como mocinho e vilão. A sala irá vibrar quando as fileiras forem descerradas.
Em Batatinha frita,Os jogadores ficam na linha de partida enquanto o “pegador” está há 15 passos à frente. Todos se voltam para a linha de chegada, enquanto o pegador conta de um até cinco e vira dizendo Batatinha frita. O jogador que estiver se mexendo, o pegador manda ele para sua linha de partida. Quando o primeiro jogado ultrapassar a linha de chegada, ele se torna o pegador e o jogo inicia-se novamente. O jogo visa a agilidade e percepção motora dos jogadores.
O Nó é o se trabalha totalmente em equipe. Os jogadores formam um círculo com as mãos dadas. O instrutor atravessa o circulo, passando por baixo das mãos de dois jogadores que estão do lado contrário do circulo. Mudando a direção, os outros jogadores mudam a sua posição em forma de serpentina, formando um nó no grupo. Em seguida o grupo começa a se desenrolar, sendo que não é permitido soltar as mãos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário